Agestab apresenta demandas ao novo secretário de Desenvolvimento de Mogi

A diretoria da Associação Gestora do Distrito Industrial do Taboão (Agestab) se reuniu nesta sexta-feira (15/01) com o secretário municipal de Desenvolvimento, Gabriel Bastianelli, e apresentou as principais demandas dos empresários e do distrito. Além de listar as reivindicações mais importantes, o encontro serviu para estreitar relações entre a Associação e a nova gestão municipal.

Em reunião realizada na Prefeitura, os representantes da Agestab destacaram a necessidade de o distrito receber serviços periódicos de manutenção básica – como poda, limpeza de calhas, cascalhamento das vias de terra, conservação do sistema de iluminação pública e operações de tapa-buraco. Solicitaram, ainda, a ampliação da oferta do transporte público e pediram apoio para a construção do acesso do Taboão à Ayrton Senna.

Outra importante reivindicação foi sobre a celeridade no projeto de urbanização, drenagem e pavimentação das estradas municipais Yoneji Nakamura e Mauro Auricchio. Com previsão de início em 2018, somente em dezembro de 2020 a licitação, para contratar a empresa que fará o trabalho, foi aberta.

Na avaliação da Agestab, o Taboão, mesmo sendo considerado um dos distritos industriais mais promissores de toda Região Metropolitana de São Paulo, em aspectos como a geração de emprego, de renda e de tributos, não tem recebido a devida atenção do Poder Público.

Documento com informações sobre o Taboão, como a Agestab atua e quais são as principais demandas foi entregue ao secretário e a equipe da pasta de Desenvolvimento. Ao final do encontro, o prefeito Caio Cunha, que não pode participar da reunião devido a compromissos anteriormente agendados, apareceu e cumprimentou os representantes da Associação Gestora.

Projetos

Bastianelli enumerou as ações que serão adotadas, em breve, pela Prefeitura e que visam melhorar as condições do Taboão. Segundo ele, um plano de zeladoria para toda cidade, que prevê ações rotineiras nos distritos industriais, será apresentado em 45 dias.

“Nossa gestão está pautada na competitividade, na inovação, na desburocratização e na empregabilidade. O Taboão tem um enorme potencial e vamos trabalhar juntos com a Agestab para que possamos alcança-lo”, ressaltou o secretário.

Outra iniciativa prevista é começar pelo Taboão um projeto piloto da Prefeitura, que pretende levar Internet aos bairros rurais do município, o que beneficiará diretamente os moradores.

“A licitação para contratar a empresa, que fará a pavimentação das estradas municipais, já foi aberta e a etapa de entrega de documentação se encerrou há pouco”, explicou Bastianelli. Segundo ele, o investimento inicialmente previsto para as obras foi reajustado, saltando dos R$ 8,1 milhões, para cerca de R$ 10 milhões.

O serviço de transporte público que serve o Taboão, segundo o chefe da pasta de Desenvolvimento, também deverá ter novidades nas próximas semanas. A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana estuda a implementação de uma linha circular que atenderá o distrito e os demais bairros vizinhos, como o Piatã e o Novo Horizonte.

Esta nova linha facilitará o acesso ao Taboão, atualmente servido por poucas opções de transporte, o que, muitas vezes, dificulta a contratação de trabalhadores da região.

Por fim, Bastianelli adiantou as mudanças que ocorrerão no Emprega Mogi, que passará a se chamar Mogi Conecta. O novo sistema vai facilitar a inserção de currículos e a seleção dos candidatos pelos empregadores.

Cursos de capacitação para os inscritos no Mogi Conecta, voltados às necessidades específicas das indústrias, serão realizados numa parceria entre as pastas de Desenvolvimento e de Educação.Participaram do encontro os representantes da Agestab: Juliano Bega, Nelson Takeyoshi, Paulo de Assis e Carlos Alberto Yamanaka. Por parte da secretaria municipal, além de Bastianelli, estavam: Claudio Costa, Luiz Pinheiro, Rodrigo Garzi, e Lilian Wuo, responsável pelo Mogi Conecta. 

Agestab assina manifesto contra o pedágio na Mogi-Dutra

A Associação Gestora do Distrito Industrial do Taboão (Agestab) assinou um manifesto contra a instalação de um pedágio na Mogi-Dutra. O documento será encaminhado ao governador João Doria e reúne os prejuízos que serão causados com a praça de cobrança de tarifas, incluída no processo de concessão das rodovias litorâneas.

O documento afirma que “um pedágio na rodovia Mogi-Dutra, que dá acesso às rodovias Ayrton Senna e Presidente Dutra, representaria um ônus pesado a todos os setores produtivos da cidade, em especial o setor industrial, que utiliza grandes caminhões ou carretas no deslocamento da sua produção para todo País”.

O manifesto foi assinado durante evento realizado na Prefeitura de Mogi das Cruzes. “A Prefeitura entra de maneira institucional junto às entidades contra a instalação do pedágio. A Artesp apresentou um conceito e uma ideia que nós em Mogi das Cruzes estamos lutando contra. Vamos encaminhar o manifesto para o governador de São Paulo, que eu tenho certeza que vai olhar com atenção e respeitar a vontade de todos os mogianos”, destacou o prefeito Marcus Mello.

Na avaliação da Agestab, da Prefeitura e das entidades que participaram da reunião, o pedágio na Mogi-Dutra, além de inviável do ponto de vista técnico, não se justifica, pois a rodovia já é duplicada desde 2006 e, portanto, a concessão da pista para a iniciativa privada não traria nenhum benefício para Mogi, servindo apenas para outras cidades dentro do lote de concessões de rodovias do litoral.

O vice-prefeito Juliano Abe disse que a partir de agora, qualquer negociação referente ao assunto só será levada a diante pela Administração Municipal quando o Governo do Estado retirar a praça de pedágio do projeto de concessão.

LEGISLAÇÃO

A Prefeitura também pretende barrar a instalação do pedágio com uma nova legislação preparada pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Nos próximos dias um decreto sobre as licenças ambientais municipalizadas deverá ser publicado. Dessa forma, acredita o prefeito, o Governo do Estado precisaria da permissão ambiental da cidade para que pudesse construir a praça de cobrança, prevista no projeto de concessão das rodovias litorâneas, previsto para ser lançado em dezembro.

Além da Agestab, assinam o manifesto a Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC), Ciesp/Fiesp, Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio), Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Mogi das Cruzes (AEAMC), e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Ecopistas apresenta à Agestab pré-projeto de acesso ao Taboão

A concessionária Ecopistas apresentou na tarde desta segunda-feira (24/8) à Agestab, o o pré-projeto da marginal que vai criar um acesso entre o Distrito Industrial do Taboão e a Rodovia Ayrton Senna. A reunião foi intermediada pelo deputado estadual Marcos Damásio.

A proposta é de uma via paralela à rodovia, no sentido São Paulo, com seis quilômetros de extensão (do kms 51 ao 45), com obras de arte e rotatórias para facilitar a ligação entre os dois lados do distrito.

O diretor superintendente da Ecopistas, Luciano Louzane, explicou que esta é uma proposta preliminar. “Uma vez autorizado o estudo, serão feitas todas as pesquisas de origem/destino, fluxo e demandas para a elaboração de um projeto completo”, disse, acrescentando que o investimento na obra seria em torno de R$ 100 milhões e geraria cerca de 700 empregos diretos.

“Nosso próximo passo será sensibilizar a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) – responsável por autorizar o estudo – para a importância dessa obra para a região e para o Estado, pois vai criar uma infraestrutura importante na atração de novas indústrias para o local”, defendeu Damasio.

Para o 1º Tesoureiro da Agestab, Juliano Zielinski Bega, o acesso é importante e vai atender às empresas do distrito. “Para a Agestab será uma vitória, pois este é um pleito antigo”.

“Estaremos à disposição para auxiliar na concretização deste projeto, que é de vital importância para o desenvolvimento da nossa região”, afirmou o secretário municipal de Desenvolvimento, Simei Baldani, que estava presente na reunião.

Também participaram da reunião o diretor de Departamento da Secretaria de Desenvolvimento de Mogi, Luiz Carlos Pinheiro, o gerente de Engenharia da Ecopistas, Naelson Cândido, e, de maneira remota, o gerente de Contratos da concessionária, Lucas Ruzene.